TENDÊNCIAS EM PERFUMARIA EM 2020

Os cheiros evocam lembranças. Também podemos descobrir e perceber o mundo através do olfato. E a perfumaria ajuda a reinventar o mundo através das emoções, traduzindo conceitos, memorias, propostas em produtos e experiências. Portanto, veja as principais tendências em perfumaria e entenda qual o papel do perfumista e do metiê de avaliador na fabricação de perfumes. Não perca!

Um cheiro é capaz de despertar lembranças e podem reconfortar ou causar repulsa. Entretanto, apesar do olfato ser um dos sentidos básicos tão onipresente no cotidiano, acabamos nos esquecendo de que existe até que um cheiro bom ou ruim surge para lembrar o quanto ele é poderoso.

Um exemplo disso são alguns perfumes que funcionam como memórias engarrafadas, capazes de reavivar épocas e acontecimentos. Talvez seja por isso que, para muitas pessoas, perfume é algo tão essencial quanto estar vestido.

Escolher, entre milhares de opções de fragrâncias, aquela que melhor se adapta à sua pele e ao seu nariz, bem como criar novas fragrâncias, não é tarefa fácil. Especialmente em um universo tão rico em novidades, onde a cada ano são lançados uma enorme variedade de perfumes diferentes no mundo. Assim sendo, confira abaixo as principais tendências em perfumaria para 2020.

 

TENDÊNCIAS EM PERFUMARIA EM 2020

 

A categoria de fragrâncias é uma das mais fascinantes em cosméticos. Veja abaixo algumas das principais tendências no reino evanescente dos cheiros para 2020.

Perfumbiome: A tendência probiótica também chega ao mundo das flores, pois há relatos na literatura que indicam que a microbiota das flores pode ter um impacto na composição final nos aromas que produzem. Antibióticos foram usados em algumas espécies de flores para reduzir a população de fungos e bactérias, constatando que a quantidade e a composição das notas aromáticas podem variar bastante em comparação as flores que não foram tratadas. No futuro, veremos novas notas olfativas que podem ser obtidas pela modificação da microbiota nas flores.

Flairfume = Flair + Perfume: Esse conceito original foi apresentado em setembro no evento Accycosmética da Accytec Bogotá. Nesta criação, participou um perfumista que desenhou um perfume inspirado no gim-tônica, mas que tinha variações olfativas com flor da Jamaica, rosa macerada, frappé de maçã e almíscar.

L’Eau de Bébé: Uma empresa criou um perfume genderless que cheira a um bebê recém-nascido para promover sua linha sem fragrâncias. É direito dos bebês cheirar a bebês!

Scentimental: A ligação entre fragrâncias e saúde mental. Existe um interesse crescente por saúde mental, bem-estar e olfato, e é por isso que estamos vendo novas publicações cientificas sobre o poder dos aromas para melhorar a maneira como nos sentimos.

Extravaganza: Em 2019, foi lançado o perfume mais caro do mundo, com 3571 diamantes brilhantes, com um total de 38,55 quilates e um custo de US$ 1,3 milhões. Contém âmbar, sândalo, almíscar, agarwood indiano, rosa de Peru, patchouli, ylang-ylang e incenso.

Eau de Louvre: Como é o cheiro de Vênus de Milo? Bem, cheira a tangerina, jasmim e âmbar! Há alguns meses, oito perfumistas criaram uma série de fragrâncias inspiradas em oito obras do museu do Louvre. Este ano, a tendência de traduzir com aromas as sensações causadas por obras de arte é forte.

Literature inspiration: Existem marcas que lançaram perfumes inspirados na literatura e que têm uma experiência muito agradável. Este ano, Loto del Sur lançou na Colômbia um conceito original de perfumes inspirados em livros, como “Rayuela” e “Como água para chocolate”.

New segmentation: Existem diferentes conceitos de branding que as marcas de fragrâncias finas estão adotando para conquistar o mercado: Mainstream perfumes: fragrâncias lançadas por marcas bem conhecidas, como casas de designers e celebridades. Para essas empresas, os perfumes são acessórios ou extensões de linha; Niche perfumes: perfumaria de nicho é um modelo de negócios que nasceu no início do século XXI na Itália e na França. Seu principal objetivo é recuperar os valores perdidos após a expansão da perfumaria de luxo, como exclusividade, autenticidade, originalidade e independência; Indi perfumes: marcas independentes são um tipo de perfumaria em que o processo de criação prevalece, uma vez que o conceito se afasta dos parâmetros ditados pelo marketing e pelas tendências; Artisan perfumes: fragrâncias feitas à mão em processos artesanal, portanto, lotes de produção pequenos, com poucas unidades. O fato de serem artesanais garante que essas fragrâncias sejam criativas, originais e pessoais; Bespoke perfumes: perfumes “personalizados”, são as melhores fragrâncias de luxo que podem ser encontradas. São interessantes porque levam a perfumaria a um nível mais alto de personalização, pois um produto pode custar de U$30,000 e U$50,000, e a lista de espera pode ser longa.

 

PAPEL DO PERFUMISTA E DO METIÊ DE AVALIAÇÃO

 

O perfumista ou metiê de perfumista existe há mais de cinco séculos e é o profissional que combina as matérias-primas odoríferas para compor as fragrâncias. Ele tem multifacetas, ou seja, tem que ser artista, técnico, professor e aluno para o resto da vida. Além dos fundamentos técnico-científicos em química, física e biologia, ele precisa ter conhecimento sobre moda, tendências, história e mesmo geografia, pois tudo isso amplia a criação.

Entretanto, o mais importante é que tenha “nariz”, isto é, habilidade para identificar olfativamente as mais de três mil matérias-primas aromáticas utilizadas e, principalmente, talento para compor harmonicamente – como se fosse numa partitura musical – fragrâncias que possam explodir, expandir e persistir na pele.

Ter “nariz” é um pré-requisito, para que ele possa treinar seu olfato. Mas isso é um trabalho a longo-prazo, é preciso 10 anos de formação para se tornar um perfumista. É por isso que, no universo dos perfumistas costuma-se dizer que ao longo de sua carreira, o perfumista é um eterno aluno-professor. Aluno porque o mundo está sempre em evolução e a perfumaria segue essas evoluções de costumes. Professor porque para aprender mais é preciso ensinar o pouco que se sabe.

Os perfumistas têm que usar a criatividade e o nariz para criar fragrâncias que despertem sentimentos, relembrem momentos, elevem a autoestima e destaquem a personalidade. Por essa razão, existe um número limitado de perfumistas de prestígio em todo o mundo. Vale mencionar Yves de Chiris, criador dos campeões de vendas: Angel, de Thierry Mugler, Fragile, de Jean-Paul Gaultier, e J´Adore, de Christian Dior.

 

 

A fragrância é componente importante das formulações cosméticas pelo efeito psicológico que causa ao consumidor. Com frequência, determina o sucesso ou fracasso de um novo produto. Elas são criadas por empresas especializadas, conhecidas também como “casas de fragrâncias”. O perfumista e o químico, que trabalham nessas “casas”, formulam perfumes a partir de componentes individuais, adicionando um-a-um.

Para criar fragrâncias bem-sucedidas, os perfumistas necessitam de certas informações do formulador do produto, em geral mencionadas na forma de um “brief de fragrância”. O processo de criação pode durar, em qualquer parte do mundo, de semanas a meses, dependendo da complexidade e das limitações do brief.

E, o papel desempenhado pelo perfumista é o de criar fragrâncias que satisfaçam todas as condições especificadas no brief.

Já o metiê de avaliação, surgiu há menos de meio século, na década de 1970, sendo avaliador e responsável pelo desenvolvimento de fragrância. Esse profissional tinha que estruturar, organizar e selecionar as fragrâncias criadas, construindo um banco de dados, sendo responsável por administrar a coleção de fragrâncias.

Pouco a pouco, o avaliador ganhou novas responsabilidades. Em um primeiro momento, além de administrar a coleção, ele começou a selecionar fragrâncias para projeto de desenvolvimento. Com a experiência que adquiriu nessa seleção, passou a orientar os perfumistas no processo de criação das fragrâncias.

No início, o avaliador não era muito bem visto pelos perfumistas, mas, aos poucos, eles entenderam que o avaliador poderia se tornar um parceiro no processo criativo. Atualmente, o avaliador tem a prerrogativa de julgar a fragrância em sua totalidade e não matéria-prima por matéria-prima, e é considerado um expert conhecedor dos produtos do mercado.

Para ser exitoso em seu metiê, o avaliador precisa ter um “nariz articulado”, ser objetivo nas suas decisões, conhecer muito bem os mercados de produtos perfumados, ser criativo, curioso e ter conhecimento técnico para avaliar a estabilidade do perfume em diferentes bases. Além disso, precisa ter conhecimento de estudos de mercados, de marketing, de tecnologia, de gerenciamento de projetos e de gerenciamento de equipe, o que normalmente ocorre nas últimas fases de sua carreia.

Hoje, todas as casas de perfumaria têm um departamento de avaliação, e as maiores casas chegam a ter um departamento de avaliação com mais de 100 funcionários atuando no mundo inteiro. Apesar de não ter uma escola especifica para o metiê de avaliador, cada casa de perfumaria realiza programas internos para prepará-los.

O percurso típico da carreira de um avaliador em uma empresa consiste inicialmente em selecionar fragrâncias na coleção, depois passa a desenvolver essas fragrâncias com o perfumista, em seguida gerencia a equipe de avaliadores e, finalmente, torna-se o diretor do departamento de avaliação da empresa. Esse percurso abre possibilidades de evolução transversal ou para a diretoria da empresa.

Antigamente, criar um perfume era o trabalho de um único homem. Hoje é de uma equipe. Um trabalho complexo e apaixonante, onde a tecnologia é amiga da criatividade.

Veja também “COMO O SABÃO AJUDA NO COMBATE AO CORONAVÍRUS COVID-19?”.

Deixe seu comentário, dicas e sugestões. Pesquise em nosso Blog e compartilhe com os amigos. Curta nossa página no Facebook e vejas novidades no nosso canal do YouTube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.