COLORAÇÃO PERMANENTE, TONALIZANTE E MAQUIAGEM CAPILAR

A maioria das mulheres já tingiu ou pretende tingir o cabelo alguma vez na vida. E cada uma delas têm um motivo diferente para a decisão. Com a evolução da tintura e outras técnicas de tingimento é possível, hoje em dia, pintar os cabelos e mudar o visual sem danificar tanto as madeixas e, com isso, pintar o cabelo tornou-se muito popular, em qualquer idade. Por isso, hoje vamos entender mais sobre coloração permanente, tonalizante e maquiagem capilar para que possa escolher o método que seja melhor e combine mais com você. Confira!

 

Tingir ou não tingir os cabelos: eis a questão! É de conhecimento que a cor natural dos cabelos influencia profundamente na aparência do ser humano e reflete tanto a sua idade quanto a sua origem. Entretanto, durante milhares de anos produtos foram aplicados aos cabelos para mudar a sua cor.

 

Mas, deixar os cabelos naturais, tingir ou assumir os fios brancos é uma questão de atitude e personalidade. É muito particular e depende do gosto, do estilo e da preferência de cada um.  Somos livres para usar o cabelo como quisermos. Para tingir ou não, cortar ou deixar crescer, inovar ou ser clássica. Afinal, uma das belezas da vida é a diversidade.

 

Por isso, nós apresentamos as tendências e você usa o visual que quiser! Veja a evolução dos produtos para tingir os cabelos, entenda mais sobre as técnicas de tingimento atuais e escolha consciente o que realmente quer fazer.

 

HISTÓRIA E INOVAÇÃO DOS PRODUTOS PARA TINGIR OS CABELOS

O hábito de tingir os cabelos é tão antigo quanto as civilizações milenares conhecidas, como os chineses e os indianos, que utilizavam de plantas, ervas e raízes para esse fim. Os povos hebreus e persas, assim como os romanos, os gregos e os egípcios também tinham este hábito. Os romanos usavam corantes para colorir os cabelos feitos com tinturas metálicas contendo acetato de chumbo, obtidos mergulhando pentes de chumbo em vinho azedo.

 

Os egípcios antigos usavam produtos de origem vegetal e animal para escurecer os cabelos ou dar-lhe coloração avermelhada com o uso de folhas da planta henna, por exemplo. Também há relatos de que os índios do nosso país utilizavam plantas como o jenipapo para cobrir os fios e dar a eles uma coloração avermelhada por mais tempo.

 

Na Idade Média, o hábito era usar cabelos com tons mais loiros e, para isso, utilizavam princípios ativos como o sulfureto de arsênio, a cal viva, unguentos de cinza de ouriço, sangue de morcego, asas de abelha, mercúrio e baba de lesma associados ao cozimento de lagartos verdes no óleo de noz e enxofre.

 

Em 1863, o químico August Wilhelm von Hofmanm revolucionou a indústria dos cosméticos ao descobrir as propriedades de coloração do PPD ( parafenilenodiamina), composto derivado da anilina, levando a criação de tinturas artificiais para os cabelos. Já em 1867, um químico inglês chamado E.H. Thillary e um cabeleireiro francês de nome Leon Hugot, demostraram em uma exposição em Paris, a técnica de descoloração dos fios com peróxido de hidrogênio, mostrando que a técnica provocava menos agressão quando comparada a soluções alcalinas.

 

Várias tentativas foram feitas para encontrar o produto ideal que mudasse a cor dos fios de uma maneira duradoura. Em 1833, o famoso pintor Monet patenteou um processo de coloração da pele usando o PPD e o peróxido de hidrogênio.

 

Chegando em 1907, um químico chamado Eugéne Schueller criou suas primeiras fórmulas para tinturas para cabelos sem produtos químicos agressivos, a qual deu o nome de Oréal. Suas tinturas foram uma inovação na época, pois apresentavam várias cores com aspecto natural e não o artificial da henna e dos sais até então existentes. O grupo L’Oréal foi fundado por ele dois anos mais tarde.  Em 1931, o shampoo tonalizante se tornou um sucesso e em 1953, o creme tonalizante permanente ofereceu uma maneira mais rápida de transformar o visual.

 

Mas, somente nos anos de 1950 é que foi desenvolvida a coloração capilar semipermanente e temporárias à base de corantes de oxidação, que permitiu tingir o cabelo em um único passo. Atualmente, a maioria dos produtos de coloração capilar contém esses corantes de oxidação e utiliza peróxido de hidrogênio para oxidar os corantes e clarear os cabelos.

No atual milênio, as inovações não param. Criou-se métodos para melhorar a formação da cor nos fios, diminuir consideravelmente os danos causados a fibra capilar, além de reduzir o tempo necessário para tonalizar as madeixas para apenas 10 minutos. As tinturas modernas podem ser um agente protetor dos fios contra agressões como o calor, vento ou poluição.

 

COLORAÇÃO PERMANENTE, TONALIZANTE E MAQUIAGEM CAPILAR

 

Existem diversos tipos de produtos para a coloração capilar, que se diferem principalmente pelo tipo de corante usado na formulação e na duração do resultado da cor no cabelo. Dentre eles, as mais comumente utilizadas são:

 

1 –  Coloração Permanente por Oxidação

 

A coloração permanente ou por oxidação é baseada na formação de pigmentos artificiais no interior do cabelo a partir da oxidação dos corantes quando expostos a agentes oxidantes, inclusive o ar.  Portanto, para a sua aplicação e para a revelação da cor, é necessário misturar o corante com água oxigenada imediatamente antes da aplicação no cabelo, em um recipiente plástico e com a ajuda de um pincel, misturando bem até obter uma mistura cremosa e homogênea.

 

 

 

A coloração permanente é denominada assim porque a cor obtida permanece no interior do cabelo e apenas pode ser retirada dos fios por descoloração. Essa coloração dura várias lavagens até a próxima aplicação, que é feita aproximadamente 4 a 6 semanas, quando será necessário cobrir os novos fios de cabelo, que crescem cerca de 0,3 mm por dia.

 

Este tipo de coloração pode ser classificada na seguintes subcategorias:

 

*Coloração Permanente ou Nível 3: Sua principal característica é clarear a base natural dos cabelos em 2 ou 3 tons, permanecendo por um longo tempo nos fios, proporcionando grande cobertura dos fios de cabelos brancos e ser resistente as lavagens;

 

*Coloração Semipermanente ou Nível 2: Não clareia a base natural do cabelo e é utilizada em cabelos com poucos fios brancos;

 

*Coloração Auto Oxidativa: Sua principal característica é o uso do oxigênio do ar para oxidar os corantes em vez do peróxido de hidrogênio, obtendo-se a revelação da cor após um período de tempo, aproximadamente 24 horas depois da aplicação, e é utilizado principalmente por homens para disfarçar os cabelos brancos.

 

2 –  Tonalizante

 

O tonalizante é uma coloração semipermanente livre de amônia, que deposita pigmentos de cor na parte externa da fibra capilar, sem alterá-la internamente. Por isso, o tonalizante não clareia os cabelos e os pigmentos não são capazes de penetrar na parte interna dos fios.

 

Seus tons costumam ser mais suaves e desbotam após determinado período de tempo, sendo que a coloração pode durar de 8 a 12 lavagens.

 

A principal diferença entre coloração permanente e tonalizante se deve à fórmula da tintura permanente, que contém amônia. Por causa dessa característica, a coloração modifica toda a estrutura do cabelo, substituindo o pigmento original do cabelo e permitindo o depósito do novo pigmento dentro e fora da fibra capilar, fazendo com que a nova cor seja permanente. Já o tonalizante age de forma bem mais superficial, depositando a cor na parte externa do fio, sem alterar a estrutura do cabelo.

 

3 –  Maquiagem Capilar

 

É um conjunto de cosméticos usados nos cabelos para alterar a aparência ou embelezar os cabelos sem modificar a estrutura dos fios nem interagir na produção de células ou estimular alterações fisiológicas.

 

A partir dessa definição acima, pode-se pensar que géis capilares, mousses e qualquer outro tipo de produto de uso tópico nos cabelos ou no couro cabeludo pode se enquadrar em maquiagem capilar. Entretanto, a definição é utilizada para identificar produtos ou sistemas que tenham o objetivo de mascarar problemas capilares mais sérios, como a calvície ou outras perdas dos fios.

 

A ideia é dar a impressão que o usuário do produto tem mais cabelo, fazendo parecer que existe mais fios do que realmente existem. Hoje em dia, o produto é distribuído em forma de spray e em pó.

 

Os produtos em forma de spray normalmente contêm um agente colorante e outro espessante que tinge e engrossa os fios existentes. Devem ser aplicados a uma distancia de aproximadamente 15 cm para que cubram apenas os fios desejados e não manchem o couro cabeludo. Já o produto em pó somente dá a impressão de mais volume nos fios tipo penugem.

 

Em ambos os casos, o produto só serve para quem tem uma boa quantidade de pelos tipo penugem e, como em qualquer maquiagem, o efeito é por tempo limitado. Ainda não existe no mercado uma maquiagem especial para a falta de cabelos, mesmo que parcial, que possa disfarçar esta condição que afeta tanto homens quanto mulheres.

 

Uma alternativa é a maquiagem definitiva, que é uma forma de tatuagem, em que um pigmento químico é colocado na derme do indivíduo com o auxilio de um aparelho que contém uma agulha e faz um desenho na pele. Porém, este tipo de procedimento, quando utilizado em uma grande área, deixa muita a desejar no quesito naturalidade, pois de longe pode parecer fios, mas de perto parecem artificiais e fica claro se tratar de uma tatuagem.

Muitas pessoas têm o hábito de modificar a cor natural dos seus cabelos para devolver a eles a cor da juventude ou com a intenção de melhorar a aparência, mas muitas pessoas também preferem a cor natural e cultivar os fios brancos. E você, o que prefere?

 

Veja também “COSMÉTICOS PARA PELE TATUADA”.

Deixe seu comentário, dicas e sugestões. Pesquise em nosso Blog e compartilhe com os amigos. Curta nossa página no Facebook e vejas novidades no nosso canal do YouTube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.