COMO OS ATIVOS COSMÉTICOS PENETRAM NA NOSSA PELE?

Você já deve ter ouvido falar que tudo que passamos na pele é absorvido e vai parar na corrente sanguínea, não é mesmo? Quando colocamos um produto na superfície da pele nem imaginamos como ele irá agir na nossa pele e conseguir o efeito desejado.

Mas as dúvidas nos últimos tempos sobre cosméticos e se prejudicam ou não a saúde humana, vem nos deixando mais atentos para coisas que antes não prestávamos muita atenção. Por isso, hoje vamos falar sobre como os ativos cosméticos penetram na nossa pele. Confira!

Antes de entender como os ativos cosméticos penetram na nossa pele, precisamos compreender um pouco mais sobre a nossa pele. Vamos lá?

 

A PELE

 

pele é considerada o maior órgão do corpo humano e funciona como uma barreira entre o meio ambiente e o corpo humano, possuindo as seguintes principais funções:

Protetora: Barreira à entrada de poeiras e microrganismos. Efeito protetor do calor, frio e das radiações solares.

Excretora: Através do suor, ajuda a eliminar as substâncias tóxicas.

Termorreguladora: Contribui para manter constante a temperatura corporal.

Sensorial: Através de seus sensores nervosos é possível sentir a pressão, a dor e a temperatura.

Além disso, a pele está relacionada à síntese de vitamina D que é produzida por influência dos raios ultravioletas e atua no metabolismo do cálcio e formação do tecido ósseo.

Ela é composta por três camadas: a epiderme, a derme e a hipoderme.

A epiderme é a camada de superfície, a derme a camada intermediária e a hipoderme ou subcutânea a camada profunda. Cada camada possui estrutura e componentes diferentes que formam uma barreira, que consequentemente dificulta a penetração de agentes terapêuticos e cosméticos na pele, pois ela não é capaz de determinar se um determinado produto que colocámos na sua superfície é benéfico ou algo que pode causar uma doença, mantendo assim sua defesa ao máximo.

Mas, os ativos que estão nas fórmulas de cosméticos conseguem penetrar na nossa pele. Como? Continue lendo para saber…

 

COMO OS ATIVOS COSMÉTICOS PENETRAM NA NOSSA PELE?

 

penetração dos ativos cosméticos é através da pele, porém para possam exercer sua função na pele e obter o efeito desejado é preciso que sua molécula consiga ultrapassar a barreira da camada mais externa da pele e atingir seu local de ação, caso contrário o ativo não será capaz de desempenhar sua ação efetiva.

Dessa forma, foi necessário desenvolver formulações com propriedades que alcançassem o local de ação através de sistemas de liberações de ativos, obtendo os seguintes mecanismos de penetração na pele:

Via Transepidérmica: Pode ocorrer através de duas rotas – intracelular e intercelular.

Rota Intracelular: quando atravessa diretamente através da camada mais externa da pele, matriz intracelular lipídica e anexo cutâneo (unhas, folículos pilosos e glândulas sudoríparas e sebáceas), ou seja, os ativos penetram por dentro das células, o que dificulta a penetração.

Rota Intercelular: quando as moléculas dos ativos penetram na pele passando entre as células da epiderme, de forma a percorrer um caminho tortuoso e mais longo.

Via Transfolicular: Penetrando no folículo piloso (ou pelo) e após se distribuindo nas camadas da epiderme. O pelo funciona como reservatório dos ativos.

A penetração de ativos é um fator muito importante em cosméticos e, por isso, deve ser controlado. Uma penetração insuficiente não gera efeitos, tornando a formulação ineficaz. Já uma penetração excessiva pode gerar a absorção sistêmica do ativo, ou seja, pode chegar a corrente sanguínea e assim causar efeitos perigosos à saúde.

No entanto, a penetração de substâncias na pele ainda é considerada um desafio, pois depende das propriedades do ativo e de seu comportamento quando incorporado a um veículo, devendo permitir somente a entrada do ativo na pele.

 

FATORES QUE INFLUENCIAM NA PENETRAÇÃO CUTÂNEA

 

A penetração de ativos na pele depende de uma série de fatores, tais como:

Região Anatômica: A espessura da camada mais externa da pele pode variar de acordo com a região do corpo. Regiões que possuem a camada mais externa da pele mais fina como axilas e couro cabeludo são mais permeáveis e susceptíveis à liberação de ativos, podendo levar a intoxicação sistêmica. Já palma das mãos é a área menos permeável.

Condições da Pele e Doenças: Pele mais hidratada é mais permeável. Doenças que causam alteração da epiderme provocam mudanças na função de barreira da pele, desta forma, produtos tópicos devem apenas ser utilizados em condições de pele íntegra e livre de patologias dermatológicas.

Idade: O envelhecimento cutâneo torna a pele mais frágil e sensível, o que leva a um período mais longo para recuperação de traumas. Assim, a penetração de ativos pode ser relativamente maior em pessoas idosas, portanto deve-se ter cuidado para que não ocorra intoxicação sistêmica, devido ao pouco desenvolvimento das barreiras cutâneas.

Fatores Relacionados ao Ativo e à Formulação: É preciso levar em consideração algumas características do ativo, tais como: hidrofilicidade, tamanho e carga da molécula, grau de ionização, coeficiente de partição óleo/água e degradação enzimática. Já quanto à formulação deve-se ficar atento a algumas características como: solubilidade e concentração do ativo, composição óleo/água, pH, tamanho de partícula e presença de promotores de absorção.

O desenvolvimento tecnológico de novas formas cosméticas tem sido a estratégia mais promissora para aumentar e controlar a penetração de ativos na pele.

Microemulsões, lipossomas e nanopartículas poliméricas têm sido investigados como opções para facilitar a penetração nas camadas da pele, sem causar danos indesejados e aumentar sua eficácia.

Veja também “CAUSAS DA PELE SECA E O BODY MILK – LEITE PARA  CORPO HIDRATANTE“.

Deixe seu comentário, dicas e sugestões. Pesquise em nosso Blog e compartilhe com os amigos. Curta nossa página no Facebook e vejas novidades no nosso canal do YouTube.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.