VOCÊ SABE O QUE TEM NOS ESMALTES?

O Brasil é o país em primeiro lugar no mundo que mais consome em volume e que mais gasta dinheiro com esmaltes para unhas. Afinal, são tantas marcas, cores e texturas que sempre dá aquela vontade de deixar as unhas bem feitas. Quem não gosta, não é mesmo?! Mas, você sabe o que tem nos esmaltes? Alguns componentes podem ser nocivos para a saúde. Saiba como se prevenir e fique atenta. Confira!

Independentemente da idade, a mania pelos esmaltes multicoloridos tomou conta e constantemente vemos as mulheres desfilando pelas ruas com as unhas pintadas com esmalte. Mas, engana-se quem pensa que isso é advindo da época da industrialização.

A arte de colorir as unhas é conhecida há mais de 3 mil anos, pelos mais diferentes povos, como os chineses, italianos e japoneses. As mulheres pintavam as unhas como parte de um ritual nobre, marcando-as como mulheres socialmente distintas, simbolizando poder e riqueza.

É claro que as coisas mudaram e o esmalte passou por diversas modificações ao longo dos anos, deixando de ser parte de um ritual, depois de ser um mero cosmético e atualmente ganhou o status de acessório, tornando-se muito importante na composição do visual.

No entanto, se a 3 mil anos atrás os esmaltes eram feitos com ceras de abelha, gelatina, pétalas de flores e pigmentos naturais para dar cor as unhas, as substâncias foram modificadas a partir da Primeira Guerra Mundial com produções cada vez mais sintéticas. O esmalte que conhecemos hoje foi desenvolvido pela primeira vez em 1930.

Porém, algumas substâncias utilizadas nos esmaltes têm sido relacionadas a câncer, abortos, doenças pulmonares e outras doenças. Por isso a leitura dos rótulos dos produtos deve se tornar rotina para identificar quais são os produtos com menos agressores toxicológicos e contribuir para o desenvolvimento de cosméticos seguros.

Continue lendo e veja quais são os componentes dos esmaltes e saiba quais são os perigosos para a saúde.

 

O QUE SÃO OS ESMALTES?

 

O esmalte é um produto cosmético composto por uma mistura homogênea, ou seja, que apresenta um único aspecto visual, que quando aplicado nas unhas forma uma película plástica brilhante, criando uma camada que é fixada na unha, colorindo-a.

 

COMPOSIÇÃO DOS ESMALTES

 

Sua composição é, basicamente, 85% de solventes e os 15% restantes de resinas, plastificantes e outros componentes do esmalte. Veja abaixo cada um dos componentes, suas funções e males causados.

1.Resinas

São polímeros plásticos responsáveis pela formação filme plástico após a secagem, proporcionam o brilho do esmalte e sua adesão à unha. A resina mais utilizada na formação do filme é a nitrocelulose.

Nitrocelulose: É formada por meio de uma reação química entre alguns solventes orgânicos e aditivos, como a mistura formada por algodão, ácido sulfúrico (H2SO4) e ácido nítrico (HNO3). Nociva por inalação e contato dérmico, pode provocar dermatite de contato, é proveniente de fontes renováveis, como madeira e algodão.

 

 2. Solventes

São substâncias capazes de dissolver os componentes do esmalte, transformando o filme plástico em um líquido que pode ser aplicado nas unhas. Após a aplicação, os solventes evaporam rapidamente, deixando sobre a unha apenas os componentes que antes estavam dissolvidos. Os principais solventes que podem estar presentes no esmalte são:

–  Acetato Etílico ou Butílico: Possui efeito tóxico no ambiente aquático.

– Tolueno: Causa alergia e prejudica o feto. É comprovadamente cancerígeno, podendo causar irritações à pele, como vermelhidão, dor e ressecamento, além de danos ao sistema nervoso central, rins e fígado por exposição repetida ou prolongada. Além disso, se ele for inalado durante a gestação pode prejudicar o crescimento do feto, causar prematuridade ou malformações. Também é tóxico ao ambiente aquático.

– Dibutilftalato  (DBP): dibutil ftalato pode causar irritação dos olhos e do nariz, estômago e trato respiratório por exposição prolongada e em outras concentrações. Afeta a capacidade reprodutiva e órgãos sexuais, sendo ligado  ao desenvolvimento prejudicado dos órgãos sexuais masculinos em fetos.

– Formaldeído ou Formol: Também utilizado como esterilizante, o produto pode ser absorvido via inalação ou por contato com a pele, com alto potencial de irritabilidade local e podendo causar câncer, sendo associado à câncer nasal, alterações reprodutivas e toxidade nos genes.

 

3.Plastificantes

São as substâncias que têm a função de hidratar a unha, atuando como lubrificante favorecendo que o esmalte não seja quebradiço. A falta de plastificante em quantidade correta em um esmalte resulta em um filme quebradiço. O excesso resulta em um filme mole e com secagem demorada. Os principais plastificantes são:

– Cânfora: Trata-se de um produto natural obtido das folhas da planta medicinal canforeira, é amplamente utilizado como plastificante da nitrocelulose.

– Copolímero de Etileno: Garante a estabilidade do filme formado, cuidando para que não esfarele.

– Polimetilacrilato: Tem a função de unir os demais ingredientes.

– Esteralcônio de Hectorita: Quando submetido à temperatura corporal (em torno de 36° C) provoca a evaporação dos solventes utilizados, tais como a acetona.

– Poliuretano: Tem a função de integrar os pigmentos evitando que eles se acumulem e depositem no fundo da embalagem.

 

4. Corantes e Pigmentos

São os componentes responsáveis por dar cor ao esmalte e possuem alto poder de cobertura. Podem ser artificiais ou naturais de fontes orgânicas ou inorgânicas, que são extraídos de rochas, minérios, flores, folhas, etc. . Alguns exemplos de corantes utilizados são:

– Escamas de peixe trituradas para pigmentos perolizados;

– Dióxido de titânio (TiO2);

– Óxido de Ferro (FeO);

– Mica (mistura do minério mica com vários outros corantes).

 

5. Agentes Tixotrópicos

Principal função é manter em suspensão as partículas de pigmentos de peso específico superior ao solvente, evitando sua decantação. Quando vemos que o pigmento se “separou” da base podem saber: Concentração de agente tixotrópico baixa ou um agente inadequado. Os principais componentes são:

-CMC (carboximetilcelulose sódica);

-Tripolifosfato de sódio;

-Copolímero de etileno.


6.Aditivos

São substâncias que são adicionadas com a intenção de conferir determinadas funções, como hidratar, fortalecer, etc.

-Silicones;

-Vitaminas;

-Ceramidas;

-Cálcio;

-D-pantenol, etc.

 

DICAS PARA COMPRAR ESMALTES

 

Na hora da comprar os esmaltes, siga as orientações:


– Verifique se o produto possui registro na Anvisa.

– Nunca compre, e muito menos use, produtos com a validade vencida.

– Leia o rótulo do produto para saber os componentes.

– Prefira esmaltes cuja embalagem apresente as informações ‘3 fee‘, ‘5 free’, ‘7 free’ ou ‘9 free’, ou seja, que não possuem substâncias tóxicas em sua composição. O ‘3 free’, por exemplo, não contém formol, tolueno e dibutilftalato .

– Observe sempre as advertências e restrições de uso presentes no rótulo.

 

MODO CORRETO DE DESCARTAR AS EMBALAGENS DE ESMALTE

 

O esmalte em si não é reciclável e, se for lançado no meio ambiente diretamente, pode contaminar os corpos d’água e o solo; ou se incinerado, produz vapores tóxicos, prejudicando todo o ecossistema.

Contudo, as embalagens de vidro são recicláveis, mas para isso é necessário que todo o conteúdo seja retirado do frasco. Para isso, escorra em um papel de jornal o máximo possível e, para o que ainda restar no fundo do vidro, adicione removedor de esmaltes. Agite o frasco e, quando o esmalte se dissolver completamente, despeje novamente no jornal. Resíduos mais grossos que se acumularem no bocal rosqueado do vidro podem ser removidos ao esfregar um algodão embebido. Quando a embalagem de vidro estiver completamente limpa, depois dessas etapas, ela já pode ser destinada corretamente à reciclagem.

Nunca jogue o esmalte diretamente nos ralos, já que ele vai para a rede coletora de esgotos e assim pode contaminar um grande volume de água, dificultando e encarecendo o sistema de tratamento desse esgoto. Fica a dica!

Veja também “COMO ACABAR COM AS MANCHAS E UNIFORMIZAR A COR DA PELE?”.

Deixe seu comentário, dicas e sugestões. Pesquise em nosso Blog e compartilhe com os amigos. Curta nossa página no Facebook e vejas novidades no nosso canal do YouTube.

 

Comments

  1. joyce

    Ola!! Legal o post. Esmalte é um mal necessario…rsrsrs Mas ele causa muitas alergias mesmo. Acho que a industria devia pesquisar formulas mais seguras de esmalte, com menor quantidade de quimica. Tenho alergia a sulfato de niquel e no Brasil nenhuma marca faz esmalte sem sulfato de niquel. Só resta as importadas como a Mavala que por aki custam caro. Bjs!

  2. Jácina Tábita Gurgel Morais

    Olá,bom dia!
    Como faço para entrar em contato com vocês? Já enviei email e não obtive resposta.

    1. Post
      Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.