COMO USAR GOMA XANTANA DE FORMA FÁCIL E SEM CRIAR GRUMOS?

goma xantana

A formação de grumos é um dos principais problemas enfrentado por formuladores. E a Goma Xantana é uma das campeãs em formar grumos nas formulações. Portanto, continue lendo e entenda como usar Goma Xantana de forma fácil e sem formar grumos.

INCI Name: XANTHAN GUM

Fórmula química: C35H49O29

Número CAS: 11138-66-2

Estado Físico (25°C): Sólido (pó fino)

Densidade (25°C): 0,8 g/cm3

Biodegradação: Produto facilmente biodegradável no solo e na água.

Solubilidade: Solúvel em água. Insolúvel em solventes orgânicos.

Compatibilidade: Compatível com tensoativos aniônicos, tensoativos não-iônicos e com eletrólitos. Incompatível com tensoativo catiônico.

Faixa de temperatura: 10 a 90°C não comprometem a aplicabilidade da Goma Xantana.

Faixa de pH: Estável em ampla faixa de pH – 3 a 12. Valores de pH >11 e <2.5 afetam a estabilidade.

 

GOMA XANTANA: O QUE É?

 

A Goma Xantana é muito utilizada na indústria cosmética por ser um espessante muito comum e de excelente custo. Ela ajuda a dar viscosidade e aderência a sistemas cosméticos, como emulsões, séruns e cremes, sendo também utilizada para modificar a textura e ajudar a estabilizar a formulação, dificultando a separação de fases do sistema.

A estrutura primária consiste em uma espinha dorsal de celulose com cadeias laterais de trissacarídeos, sendo a unidade de repetição um pentassacarídeo, composta por glicose, manose e ácido glucurônico na proporção de 2: 2: 1, além de grupos substituintes piruvato e acetila. A cadeia principal da goma é formada por unidades de β-d-glicose, que estão ligadas nas posições 1 e 4.

 

goma xantana

 

A principal propriedade funcional da Goma Xantana é a capacidade de controlar a deformação e o escoamento de corpos sólidos ou fluidos (gases ou líquidos) sob a influência de uma força ou tensão de sistemas à base de água.

As soluções de Goma Xantana são altamente pseudoplásticas, ou seja, quando submetida a tensões, torna-se mais rala. Esta propriedade permite fácil bombeamento e pulverização. Em contrapartida, torna-se mais espessa quando a tensão é removida, oferece excelente capacidade para estabilizar emulsões, suspensões e espumas.

goma xantanaA goma xantana foi descoberta em 1950, por pesquisadores do Northern Regional Research Laboratory (NRRL), do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, que buscavam identificar microrganismos que produzissem gomas solúveis em água de aplicação industrial e interesse comercial.

A Goma Xantana foi extensamente estudada por apresentar propriedades espessantes e estabilizantes e, a partir de 1960,  as pesquisas culminaram na produção semicomercial da goma Kelzan pela empresa Kelco (hoje, CPKelco – Estados Unidos).

Em 1964, a produção comercial do polímero para propósito industrial tornou-se viável, para a aplicação em produtos não alimentícios e em 1969, a goma xantana foi aprovada pelo FDA (Food and Drug Administration) para uso como estabilizante, emulsificante e espessante em alimentos.

Assim, a Goma Xantana pode ser usada na indústria alimentícia e cosmética, principalmente como um agente espessante, emulsificante e um estabilizante eficaz.

 

GOMA XANTANA NA COSMÉTICA

 

goma xantanaA Goma Xantana é muito utilizada na indústria cosmética por ser um espessante muito comum e de excelente custo. Ela ajuda a dar viscosidade e aderência a sistemas cosméticos, como emulsões, séruns e cremes, sendo também utilizada para modificar a textura e ajudar a estabilizar a formulação, dificultando a separação de fases do sistema.

Além disso, ela é um polímero totalmente de origem vegetal e biodegradável, logo é utilizada para dar um apelo natural ou vegetal a formulação.

A Goma xantana possui pH entre 6 e 8, e seu uso típico é em torno de 0,1 a 0,3%. É solúvel em água, mas dispersa mais facilmente em glicerina ou óleo vegetal. E embora não se dissolva em álcool, é compatível com até 60% de álcool, por isso é um espessante ideal para fazer desinfetantes para as mãos.

Ela se dissolve na maioria das soluções ácidas (menos de pH 7) e mostra grande estabilidade na presença da maioria dos ácidos orgânicos, como vinagre e ácido lático, podendo ser utilizada em shampoos, condicionadores e outras emulsões como cremes e loções.

A Goma Xantana também mostra boa compatibilidade com muitos compostos básicos, mas se for muito alcalino com pH maior que 11, por exemplo, pode causar alguma precipitação de goma e sais.

Tem boa compatibilidade com surfactantes não iônicos em altas concentrações e tolera baixas concentrações de surfactantes aniônicos e anfotéricos, mas NÃO é compatível com tensoativos catiônicos.

Os sais podem retardar a hidratação da Goma Xantana, mas não tem muito efeito sobre ela depois de hidratada, então pode adicionar sem problema ingredientes como Aloe Vera, que possuem uma grande quantidade de eletrólitos.

goma xantanaAlém disso, a Goma Xantana também possui outra característica que passa despercebida ou é desconhecida por alguns profissionais: melhora o pick up (quando o produto adere ao dedo) da formulação e facilita a saída do produto da embalagem, possibilitando que uma pequena quantidade seja transferida até o local de aplicação.

É importante que produtos cosméticos possuam aderência ao dedo na hora de sua retirada para que a aplicação e eficácia não sejam comprometidas, principalmente quando dispensados em potes ou embalagens com a abertura larga.

Outro fator a ser considerado é que a Goma Xantana altera consideravelmente o toque do produto, podendo dar a sensação de pegajosidade, então se deseja uma emulsão com um toque mais aquoso e menos “pegajoso” é interessante combiná-la com outras gomas ou espessantes como a Goma de Guar (80% Goma Guar a 20% Goma Xantana) e a Goma de Alfarroba (50%-50%).

Caso queira substituir a Goma Xantana em uma formulação pode usar a Goma Guar (se não houver aniônicos na fórmula) ou Hidroxietilcelulose.

 

COMO USAR GOMA XANTANA DE FORMA FÁCIL E SEM CRIAR GRUMOS?

 

Existe uma grande dificuldade e muitos formuladores questionam a formação de grumos quando trabalham com a Goma Xantana.

A Goma Xantana é um pó de coloração creme, que quando adicionado diretamente na água sem tomar os cuidados necessários, ocorre a formação de grumos. Para evitar esses aglomerados existem algumas técnicas que podemos utilizar:

 

1 – Pré-diluir a Goma Xantana em algum glicol como a Glicerina Vegetal Bi-destilada, por exemplo, antes de adicionar a fase aquosa.

A Goma Xantana requer pelo menos 10 minutos de mistura para umedecer, dispersar e hidratar. Portanto você saberá que ela está completamente hidratada quando estiver sem flocos brancos flutuando.

Consequentemente você promoveu um efeito molhante na Goma Xantana e isso vai facilitar a incorporação de forma homogênea da goma na fase aquosa, sem ocorrer a formação de grumos.

2 – Também pode aquecer o glicol como a Glicerina Vegetal Bi-destilada, antes de adicionar a Goma Xantana. Depois da diluição da goma na glicerina adicionar na fase aquosa.

3 – Outra forma é aquecer a fase aquosa e depois adicionar a dispersão de Goma Xantana em glicol. Isso fará com que a incorporação seja muito mais rápida.

Depois da adição da Goma Xantana na fase aquosa é só homogeneizar por 10 minutos.

O resultado final costuma estabilizar no dia seguinte que o produto é confeccionado. Pelo que parece a goma continua trabalhando nas suas primeiras horas de ação.

 

SEGURANÇA

 

Com relação a segurança desse ingrediente, com base nos dados disponíveis no Painel de Especialistas do CIR sobre a Goma Xantana elas são consideradas seguras quando usadas em produtos cosméticos. Além disso, esse produto tem aprovação ECOCERT e COSMOS.

Deixe seu comentário, dicas e sugestões. Pesquise em nosso Blog e compartilhe com os amigos. Curta nossa página no Facebook e vejas novidades no nosso canal do YouTube.

Referências Bibliográficas

Cosmetics Info. Xanthan Gum. Acesso em: 25 novembro 2021.

Humblebee and me. TAG: Xanthan Gum. Acesso em: 25 novembro 2021.

Jungbunzelauer. Xanthan Gum. Acesso em: 25 novembro 2021.

Swift Crafty Monkey. Adapting our formulas to use ECOcert ingredients: Simulgreen 18-2 – using xanthan gum (updated). Acesso em: 25 novembro 2021.

Borges, C. D.; Vendruscolo, C. T. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde, Londrina, v. 29, n. 2, p. 171-188, jul./dez. 2008. Acesso em: 25 novembro 2021.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.