PRODUTOS COSMÉTICOS PARA GESTANTES

Está grávida ou conhece alguém que está grávida? Então, não perca o artigo de hoje! Vamos falar sobre as mudanças que ocorrem na pele e cabelos da mulher durante essa fase e as características dos cosméticos desenvolvidos para conferir conforto e bem-estar à gestante. Confira!

Quero dedicar esse artigo a todas as gravidinhas de 2018, em especial a Gabi, Cintia, Carlinha, Diana e Bárbara! Que venha com muita saúde!

Se você já passou por uma gestação sabe que é um período de transformações. Se você vai ser mamãe de primeira viagem, não se preocupe! Tudo acontece ao mesmo tempo nos meses que antecedem a chegada do bebê: mudanças na pele, cabelos, olfato, paladar, reacomodação dos órgãos… Eita! Não se desespere, é por um bom motivo!

Vale também para os papais de plantão! Portanto fique atento e continue lendo para saber quais os ingredientes e tipos de produtos recomendados para esse momento e as substâncias que não podem estar na formulação desses produtos, em função da saúde da mamãe e do bebê.

 

ORGANISMO DA GESTANTE

 

Durante a gravidez, o organismo da mulher sofre alterações hormonais que refletem na sua pele e cabelos, modificando-os. Nesse período ocorre uma maior produção dos hormônios estrógeno e progesterona, que pode estimular o aumento da oleosidade da pele e o fechamento dos poros, ocasionando pontos de inflamação, provocando a acne.

As alterações na pele se dão, principalmente, no aumento da oleosidade e pigmentação, especialmente em peles morenas, nas quais há um grande estímulo para a produção de melanina. As áreas mais afetadas são as mamas, os mamilos, genitália, linha alba ( linha central, que vai do umbigo à região pubiana) e a face.

Já no couro cabeludo ocorre o aumento da oleosidade podendo provocar a dermatite seborreica, a caspa. Mas, a boa notícia é que os cabelos também podem ficar mais encorpados e resistentes, devido o aumento da pressão sanguínea que amplia o fornecimento de nutrientes aos folículos capilares.

Nessa fase há um aumento do crescimento dos pelos no corpo e couro cabeludo, devido o aumento da quantidade de cabelos na fase anágena, que é a fase de crescimento do fio capilar. Porém, logo após o parto, há uma queda capilar muito grande e ela é muito importante, pois ocorre uma mudança brusca da fase capilar anágena para a telógena, que é a fase de queda capilar.

 

 

CUIDADOS ESPECIAIS

 

O bem-estar da futura mamãe está relacionado ao tripé: alimentação saudável, atividade física compatível para cada gestante e medidas de orientação para higiene pessoal.

 

Mas, caso a mulher já possua alguma doença do couro cabeludo, como a calvície, após o nascimento do bebê os cabelos não serão repostos na mesma intensidade e não terão o mesmo volume que tinham antes da gestação. O ideal é procurar um dermatologista o mais rápido possível e fazer alguns exames tricológicos, como o tricograma, que irá permitir identificar de forma precoce se tem doenças e realizar o acompanhamento e controle delas.

Para a pele é indicado o uso de óleos de banho, hidratantes com elastina, colágeno, vitaminas e umectantes e, naturalmente, muito protetor solar. Algumas situações necessitam cuidados especiais, como no caso de problemas de pigmentação (cloasma), estrias, pelos e unhas, bem como o aparecimento de espinhas. Neste caso converse com o seu médico e peça a indicação de um dermatologista.

 

PRODUTOS COSMÉTICOS PARA GESTANTES

 

Estes produtos devem ter pouco ou nenhum perfume, sem álcool e corantes sintéticos, sem óleo mineral ou derivados petroquímicos e sem parabenos. É importante utilizar tensoativos suaves, com baixo potencial irritante, ação calmante e hidratante.

Sabonetes a base de ácido salicílico, por exemplo, devem ser substituídos por outros sem essa substância. Ácidos retinoicos e seus derivados também são contra indicados. Produtos que estimulam a circulação também não são recomendados, visto que, nesse período, a circulação já é mais acentuada. Assim, devem-se evitar produtos com mentol, canfora ou nicotinato de metila. Já os ácidos azelaico, glicólicos e algumas vitaminas são liberados.

Não use produtos que contenham ácido retinoico, ácido glicólico, resorcina, hidroquinona, formol, além de produtos depilatórios. A utilização de produtos como despigmentantes, citoestimulantes e o ácido retinóico pode favorecer a má formação do feto, por serem substâncias potencialmente teratogênicas, ou seja, quando presentes durante a vida embrionária ou fetal, produzem alterações em sua estrutura ou função, ocasionando anormalidades em seu desenvolvimento.

As escovas progressivas, relaxamentos e tinturas convencionais não são recomendados durante todo o período de gestação e de amamentação, uma vez que ingredientes como a amônia, formol e o chumbo podem, por via sanguínea, contaminar o feto, assim como o leite materno.

Se optar por tingir o cabelo após a 12ª semana de gestação, recomenda-se o uso de produtos a base de henna natural ou os shampoos tonalizantes, que não contenham amônia ou iodo na sua composição. Os reflexos (clareamento das mechas do cabelo) deverão ser feitos da metade dos fios para baixo, no mesmo período gestacional, observando os mesmos cuidados.

A premissa básica é sempre utilizar produtos com matérias-primas aprovadas pela ANVISA e que não tenham restrições para o uso em gestantes, para não causar nenhum risco de má formação ou qualquer outro dano à saúde do bebê, durante a gestação ou a amamentação.

Dentre os cosméticos desenvolvidos para gestantes estão os cremes para evitar o surgimento de estrias e para promover a maciez e hidratação da pele; e os óleos vegetais, como os de amêndoas, semente de uva e germe de trigo.

São priorizados os ativos hidratantes e que promovam a elasticidade da pele, como os ativos derivados do leite, extratos vegetais, entre outros. Além de substâncias oleosas, tais como vitamina E, ceramidas e glicerina.

Não existe um consenso sobre a utilização de cosméticos na gestação, nem nenhuma recomendação formal que proíba as mulheres grávidas de usarem produtos cosméticos, a orientação varia de acordo com o ginecologista.

Portanto fique atenta ao rótulo dos cosméticos que usa e converse sempre com o seu dermatologista!

 

ÓLEO DE BANHO BIFÁSICO

 

Prático e hidratante, o óleo de banho bifásico com enxágue nutre e tonifica, conferindo uma oleosidade natural à pele, trazendo mais elasticidade, evitando o aparecimento de estrias e rugas precoce. Portanto, aprenda como fazer óleo de banho bifásico, sem conservante, com uma ótima absorção e hidratação intensiva. Confira!

 

 Formulação:

  QUANTIDADE  
COMPONENTES FASE (%) 100,00 g 1,00 Kg FUNÇÃO
Óleo Vegetal de Nozes A 10,00 g 10,00 g 100,00 g Hidratante.
Óleo Semente de Uva A 10,00 g 10,00 g 100,00 g Condicionante.
Propilenoglicol A 10,00 g 10,00 g 100,00 g Umectante.
Água Deionizada B qsp 100,00 qsp 100,00 qsp 1,00 Veículo.
Corante a base de água (Opcional) B qsp qsp qsp Agente de Cor

MODO DE PREPARO:

Em um recipiente adequado adicionar os componentes da FASE A e reserve.

Em outro recipiente adicionar misturas os componentes da FASE B até a cor desejada. Homogeneizar.

OBS: O corante é opcional. Para mulheres grávidas é melhor evita-lo.

Verter a FASE B na FASE A e homogeneizar bem.

Envasar em vidros próprios.

MODO DE USAR:

Utilizar durante o banho, passando em todo o corpo e em seguida enxaguando. Ao enxugar-se sentirá a pele macia e hidratada.

Veja também “POROSIDADE – TESTE SEU CABELO”.

Deixe seu comentário, dicas e sugestões. Pesquise em nosso Blog e compartilhe com os amigos. Curta nossa página no Facebook e vejas novidades no nosso canal do YouTube.